empresa-1

Seja Bem vindo á nossa Vila! Você está na histórica vila de Santa Bárbara, município de Augusto de Lima, surgida no ano de 1872 às margens do caminho dos tropeiros que vinham da Bahia e do norte de Minas para Diamantina.

 A vila foi fundada no final do século XIX, sendo caminho de passagem para tropeiros que vinham da Bahia e Norte de Minas para Diamantina, mais importante cidade da região naquela época. No final do Império havia uma política de incentivo à instalação de indústrias próximas a rios com potencial de geração de energia hidráulica. Assim surgiu a fábrica de tecidos Santa Bárbara. Formou-se então uma vila de operários, hoje distrito do município de Augusto de Lima (MG), chamada de Santa Bárbara, localizada a 270 km de Belo Horizonte e 170 km de Montes Claros (MG).

Com aproximadamente 300 moradores a principal atração da vila é o antigo prédio da fábrica de 1886, de grande imponência e beleza. A vila possui ainda uma capela, campo de futebol, quadra, praça, padaria e armarinho. Possui também um povo muito acolhedor e hospitaleiro com interessantes histórias e ”causos” sobre o lugar.

Em Santa Bárbara existem cerca de 100 casas ocupadas por funcionários e ex-empregados da indústria têxtil, todas padronizadas e bem conservadas. As ruas são asfaltadas e limpas. A água canalizada é captada na serra e chega até as residências por gravidade.

Nos arredores do núcleo urbano, aproveitando uma queda d’água da Serra do Espinhaço, foi construída uma pequena usina hidrelétrica, que fornece a energia usada na unidade têxtil, construída nos anos 50 pelo industrial João Paculdino Ferreira.

Em Santa Bárbara existe também uma fonte de água termal. Aproveitando essa potencialidade, a família dona da companhia de tecidos construiu um hotel na Vila, recebendo visitantes de diferentes pontos de Minas, principalmente, de Belo Horizonte.

A antiga fábrica de tecidos

empresa-2

A fábrica de tecidos Santa Bárbara foi construída em 1886 pelo médico e político João da Mata Machado, um conselheiro do Império, que adquiriu o maquinário na Inglaterra. Os tecidos produzidos em Santa Bárbara eram negociados por mascates, que também carregavam as cargas em lombos de animais. Eles viajavam até Diamantina, atravessando a Serra Geral.

Mais tarde, Mata Machado passou a fábrica ás mãos de Joaquim Guerra, genro de Joaquim Felício dos Santos que, em seguida, a passou para o Conde Modesto Leal.

Em 1950 João Paculdino Ferreira, filho de operários da indústria em atividade, adquiriu a mesma e investiu na sua modernização, inaugurando em 1958 uma nova sede em frente ao antigo prédio da fábrica, onde até hoje se encontra em funcionamento.

A fábrica antiga, mas que ainda chama bastante atenção pela imponência de suas linhas arquitetônicas, conhecida como Coliseum de Eventos, é hoje palco para os eventos promovidos pelo Resort e Pousada.

O Turismo é hoje a principal atividade na Vila de Santa Bárbara, com 03 boas opções de hospedagem estruturadas, o Resort Hotel Águas De Santa Bárbara, a Pousada Sombra do Espinhaço e os Chalés da Vila, fazem desse novo pólo turístico um destino para todos os gostos e bolsos, podendo o turista se hospedar em um deles e ter o direito de utilizar e usufruir de toda á estrutura dos demais meios de hospedagem.